sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

>>>>>>>>>>>>>> I Samuel 24.1-22 e 26.3-25 <<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<
******************************** PERDÃO ********************************************
>>>>> Uma canção popular brasileira declara que ‘quem sabe faz a hora, não espera a acontecer’. Muitas pessoas esperam uma ocasião para devolver ao outro o mal que recebeu para satisfazer sua necessidade de autodefesa ou ‘justiça’. Certa vez li a seguinte frase “Queres ser feliz por um instante? Vingue-se. Queres ser feliz por toda vida? Perdoe!”. Deus sempre nos dá oportunidades de perdoar, por isso precisamos aprender a “aproveitai as oportunidades” (Colossenses 4.5).
Davi era um homem valente e guerreiro que não desperdiçava uma chance de se defender de seus inimigos. Mas como homem espiritual, Davi sabia perdoar. Quando Deus lhe deu oportunidade de se vingar se Saul, preferiu dar a Deus a honra de defendê-lo. Confiava na Palavra do Senhor que diz “a mim me pertence a vingança, a retribuição, a seu tempo” (Deuteronômio 32.25). Foi por este ato de confiança em Deus que o Senhor lhe defendeu de Saul.
>>>>> Davi pegou três objetos de Saul quando o perdoou. Um retalho de sua veste, uma lança e um jarro de água. Com estes três símbolos vamos aprender sobre as oportunidades de perdoar e as áreas de nossa vida que precisamos liberar perdão:
>>>>> 1- INTIMIDADE – o retalho do manto: I Samuel 24.1-22
Na primeira oportunidade que Davi teve para perdoar Saul, cortou um retalho do manto do rei como prova de seu perdão. Isso aconteceu num momento de intimidade do rei. Davi tinha tudo para pegar Saul de surpresa. Foi aconselhado a não perder esta chance de se vingar.
Os companheiros de Davi chegaram até a dizer que Deus estava mandando Davi fazer isso. Mas Davi teve discernimento, “sentiu Davi bater-lhe o coração” (v.5) se recusou a tal ato lembrando que Saul era um ungido de Deus (v.6). Davi tinha um coração perdoador e humilde. Não se achava superior a ninguém, considerando-se um cão morto ou uma pulga (v.14) diante do rei.
O momento de satisfazer as necessidades de um rei jamais poderia ser interrompido. Nem mesmo suas vestes poderiam ser tocadas indevidamente. Davi não queria entrar na intimidade real, mas de certa forma precisava. Então resolveu não incomodar o rei, mas aproveitou para tirar um retalho de sua veste.
Davi tinha Saul em alta estima como pessoa, sogro ou segundo pai, seu mentor no exército e principalmente como o rei escolhido por Deus. Contudo, Saul havia ferido a intimidade de Davi várias vezes, como quando fez com que Merabe se casasse com outro homem, sendo que estava prometida a Davi (I Samuel 18.17-19).
Muitas ofensas que passamos são coisas que nos ferem no íntimo. Como é doloroso ser ferido por quem consideramos mais íntimos! As pessoas que mais nos ofendem sempre serão aquelas que mais amamos porque são para elas que expomos nosso coração desprotegido de qualquer receio.
Para perdoar alguém é preciso respeitar sua intimidade como queremos ser respeitados (Mateus 7.12). Contudo, é necessário um toque mais de perto para demonstrar o perdão. Como um machucado que precisa ser limpo e tratado, mesmo que doa ao fazer isso é indispensável fazê-lo para que sare. Se o médico não tocar onde dói não poderá tratar o doente.
Você foi ferido na sua intimidade?
Perdoe quem te ofendeu profundamente!
>>>>> 2- REPUTAÇÃO – uma lança: I Samuel 26.3-11
Na segunda oportunidade que Davi teve de perdoar Saul, aproveitou para pegar a sua lança que estava do lado de sua cabeça. A mesma lança que tantas vezes Saul tentou ferir Davi. A lança estava ao lado da cabeça de Saul porque deveria estar próxima de sua vista e em sua cabeça só tinha desejo de vingança.
Abisai aconselhou Davi a não desperdiçar mais uma chance de se vingar e novamente Davi se recusou. Contudo, foi bem perto do rei e pegou a lança ao lado de sua cabeça.
A lança é uma arma de defesa que permite atacar à distância. Por isso, a lança pode ser comparada com a reputação ou imagem pessoal diante da sociedade pela qual cuidamos em preservar. Todas as pessoas zelam por sua reputação e se ofende muito se for ferido ou injuriado em sua dignidade.
Davi cuidava de manter sua imagem diante da sociedade “portanto, o seu nome se tornou muito estimado” (I Samuel 18.30). Mas foi ferido em sua reputação por seu sogro e rei por várias vezes, como quando tirou sua esposa Mical e deu para outro homem (I Samuel 25.44). Mesmo assim, Davi resolveu perdoar Saul e não quis fazer o mesmo com ele (v.20).
A lança que Saul jogava de longe, Davi pegou bem de pertinho do rei. Mostrou para Saul que estava tão preocupado em ferir Davi que se descuidou de proteger a si mesmo e que num descuido poderia perder tudo (v.15). Com este ato de Davi, Saul sentiu-se constrangido pelo perdão (v.21). Ao contrário de muitos que aproveitariam para se vingar, Davi defendeu sua reputação desarmando Saul.
A reputação é o conjunto de valores e princípios que compõe nossa vida. Se algo atinge esta convicção do que somos ou fazemos, sentimos muito ofendidos. As pessoas são capazes de travar grandes batalhas para defender sua honra.
Muitas ofensas que sofremos são coisas que ferem nossa reputação. Quando isso acontece, nos armamos totalmente para nos defender. Mas mesmo assim o melhor sempre vai ser perdoar. Uma boa maneira de fazer isso é desarmando nosso inimigo e colocar “brasas vivas sobre sua cabeça” (Romanos 12.20). Quem confia em Deus, sabe que Ele é o Juiz (Isaías 33.22) e Jesus é o nosso advogado (I João 2.1), então não há porque se magoar por causa da reputação, o melhor é deixar Deus agir. Não importa o que os outros dizem e sim o que Deus sabe da verdade.
Você se ofende por causa de sua reputação?
Creia que Deus te conhece e te defenderá!
>>>>> 3- VONTADE – o jarro de água: I Samuel 26.12-25
Ainda na segunda oportunidade que Davi teve de perdoar Saul, também pegou seu jarro de água. Para lutar num deserto é imprescindível carregar água sempre ao seu lado. Um bom guerreiro com uma ótima espada, mas enfraquecido pela sede, não é capaz de lutar. Por isso a jarra de água sempre estava perto do corpo, tanto para lutar como para descansar. A qualquer momento a sede poderia vir e deveria ser saciada.
A jarra de água pode ser comparada com a vontade, por causa da sede que é uma necessidade e uma vontade natural. O texto não diz que o jarro de água foi devolvido, o que permite entender que Davi não o devolveu. Com isso, Davi mostrou para Saul que sua vontade de se vingar devia ser contida, assim como quem quer água e precisa esperar.
Quando nossa vontade é contrariada por alguém, ficamos muito ofendidos. Entretanto, para conviver com outras pessoas é necessário respeitar a vontade um do outro. A vontade é algo que passa. Deus disse para Caim dominar sua vontade para não ser dominado por ela (Gênesis 4.7). Por isso é preciso aprender a esperar e suportar e depois perceber que não é tão difícil assim.
Nossa sociedade é hedonista, uma filosofia de vida que ensina que tudo o que queremos devemos fazer. Com isso as pessoas não aprendem a se controlar. Da mesma maneira que buscam algo bom que desejam, as pessoas também não se controlam quando sentem um sentimento ruim. Sabendo disso, o Senhor Jesus nos ensinou a “negue a si mesmo” (Marcos 8.34), que significa dizer não para suas próprias vontades. Para perdoar é preciso negar-se o direito de defesa e aceitar o outro apesar das ofensas.
Perdoar não é apenas uma opção de escolha e sim a única saída para quem deseja ser feliz. Jesus disse que “se, porém, não perdoardes aos homens [as suas ofensas], tampouco vosso Pai vos perdoará as vossas ofensas” (Mateus 6.15). Na própria oração ensinada por Jesus, o nosso perdão é condicionado pelo fato de perdoarmos uns aos outros (Mateus 6.12).
O perdão deve ser uma atitude muito superior à vontade. Mesmo que você não deseje perdoar, você deve saber que precisa liberar perdão. É como um remédio. Ninguém gosta de tomar remédio, mas sabe que necessita se tratar para ser curado. Se você for esperar dar vontade de perdoar, isso pode não acontecer nunca. O perdão é o remédio que devemos buscar para curar nossas vidas.
Você tem resistido à vontade de se vingar?
Tome uma decisão acima de sua vontade, você precisa perdoar!
>>>>> meu entendimento : - conclusivo :
A ocasião faz a oportunidade! Davi poderia ter entendido as situações em que encontrou Saul desprevenido, como momentos oportunos de se vingar, contudo preferiu perdoar.
Quando retirou o retalho de tecido do manto real, Davi perdoou o rei por ter invadido sua intimidade, mas não devolveu o pano para demonstrar que desejava manter sua amizade com o rei.
Quando Davi pegou a espada de Saul, mandou que alguém pegasse de volta como sinal de respeito pela reputação do rei. Cada pessoa tem direito de se defender. Embora tenha sido ferido em sua reputação, Davi mostrou seu respeito por seu sogro e rei.
Ao carregar o jarro de água pessoal de Saul, Davi revelou que a verdadeira fonte do problema precisava ser minada. A impulsividade do rei Saul devia ser controlada.
Certamente você tem algo que te lembre da pessoa que te ofendeu. Mesmo que seja um simples retalho que nos lembre da consideração por quem nos ofendeu, devemos ter algo que nos inspire a perdoar. Aproveite a oportunidade para mostrar a esta pessoa e revelar seu desejo de reconciliar.
Você tem algo que te lembra da pessoa que te magoou?
preapa : artigo escrito e corrigido nesta segunda feira 01/09/2014 nesta manha,um forte abraçoa todos os leitores :Neste domingo estavamos com a nossa igreja do taboão em quase sua totalidade de membros e Deus nos Deus a liberdade em Cristo de falarmos-nos de tesrauração ,procurei com minha inclusão alcançar todas as familias ali presente e aqui apresento o resultado o qual para mim foi satisfatorio ,pois alcançamos o nosso alvo,todois receberam esta palavra
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário